Organização
26 fev 2016

Bate Papo com Especialista | O que é Desorganização Crônica e como lidar com ela?

Olá pessoal! Gostaria de apresentar a vocês um tema muito sério que é a desorganização crônica, mais conhecido como Acumuladores.  Recebo alguns emails de pessoas que passam por esse problema e não sabe como mudar isso na sua vida. Gostaria muito de ajuda-las de alguma forma, por isso para debater esse assunto, convidei a querida personal Organizer Yolanda Hollaender para um bate papo muito interessante sobre a desorganização crônica, inclusive aprendi muito =) A Yolanda trabalha com organização, e coordena em parceria com uma psicóloga clínica, a Oficina de Suporte aos Problemas de Desorganização. Confira abaixo a entrevista muito especial e tenho certeza que vai ajudar muito a todas as pessoas que passam por isso.

 

desorganizacao cronica

 

O que é desorganização crônica? Qualquer pessoa pode ter esse comportamento?

Yolanda: A desorganização crônica é um transtorno de comportamento que leva a pessoa a acumular grande quantidade de objetos sem uso ou sem valor, muitas vezes bloqueando cômodos da casa, que deixam de ter a função para o que foram projetados – esse comportamento persiste por um longo período de tempo, causando impacto negativo no dia a dia. Por mais que o portador desse transtorno se esforce, sozinho não consegue se livrar do acúmulo de coisas. A pessoa pode desenvolver esse comportamento mediante um acontecimento importante, como a perda de um ente querido, uma decepção grave, um acidente cerebral, condições neurológicas, dentre várias possibilidades. Pesquisas científicas têm mostrado que a genética pode ser uma das causas desse transtorno.

Como é o comportamento dessas pessoas? 

Yolanda: A tendência dessas pessoas é se isolarem socialmente, evitando receber visitas em casa por vergonha e até pelo sentimento de culpa que sentem por deixar a casa um caos.

Quando a desorganização passa a ser uma doença?

Yolanda: Estudos mostram que a Desorganização Crônica pode se tornar uma patologia. E ela pode se apresentar em muitos níveis e as causas as mais diversas. A maioria dos acumuladores têm compulsão pela aquisição excessiva, sendo a forma de aquisição dos materiais através de compras, ou até coleta de inservíveis das ruas. Quando são impedidos de adquirir os materiais, as pessoas apresentam sofrimento.

De que forma a desorganização crônica pode afetar na vida pessoal? E profissional?

Yolanda: Dependerá muito do comportamento das pessoas, relacionado aos sintomas de acumulação, que são normalmente irracionais e disfuncionais e até crenças delirantes de que a acumulação de objetos não é problemática e estão convictas de que esse comportamento é adequado e normal.

Para os portadores do transtorno de acumulação leve, a tendência é não manterem uma vida social ativa, tornando-se reclusas, na maior parte do tempo. Na vida profissional, o desorganizado crônico pode ter vários problemas, gerando diversos conflitos, pois sempre se atrasa para os compromissos, não apresenta os relatórios em dia, esquece-se de reuniões agendadas, a mesa de trabalho sempre está em desordem.

Tem como evitar? Se sim, como?

Yolanda: Casos mais graves do transtorno de acumulação precisam de acompanhamento regular de um profissional da saúde para tratamento e reabilitação. Nesses casos, é aconselhado a prescrição de medicamentos e terapia, até mesmo intervenção das redes de atenção.  Quando a desorganização crônica é branda, é possível sensibilizar o portador desse transtorno para a necessidade da prevenção, possibilitando a melhoria na qualidade de vida das pessoas

Como detectar uma pessoa que precisa de ajuda? Como ajudar? 

Yolanda: Quando a pessoa se sente incomodada com a própria desorganização e procura ajuda é porque chegou a um ponto que já não suporta mais a situação, e isto está trazendo muito sofrimento – ela, então, é capaz de verbalizar isso e aceita ajuda. Quando é um parente, amigo ou vizinho que indica que a pessoa é um acumulador, neste caso, o profissional de organização precisa da supervisão de um psicólogo, para que este acompanhe a evolução do processo de triagem e descarte dos objetos, pois nesses pertences sempre há o fator emocional envolvido e isso pode resultar em estresse, podendo até ocorrer situações de risco para o acumulador, como um surto ou agressividade, por exemplo.

Que dica você dá para ajudar no desapego? 

Yolanda: O desapego precisa ser feito com cuidado e sem pressa. Cada objeto tem uma história e o descarte pode causar dor. Mas, é importante sempre lembrar que podemos manter na memória as lembranças agradáveis, porque as embalagens de presentes guardados; tíquetes de entrada de cinema, shows e peças de teatro; ou lembrancinhas de festas guardadas em caixas, são apenas coisas. O espaço que se divide com a família, ou onde se recebe os amigos, tem que ser um lugar agradável, livre do acúmulo de objetos.

Qual é o primeiro passo para a pessoa sair do caos e organizar sua vida? 

Yolanda: O primeiro passo para sair do caos é o desorganizado querer que isso aconteça, de fato. Não é uma tarefa fácil, e nem sempre quem está num lugar com muita coisa acumulada, consegue fazer isso sozinho, mas é possível com a ajuda de profissionais. Normalmente o estado caótico é algo que está dentro da pessoa. Se ela consegue organizar seu EU interior, certamente isso irá refletir na vida externa.

De que forma o Personal Organizer trabalha para quem sofre da acumulação? E como é feito o desapego?

Yolanda: Como Profissional de Organização, sempre procuro a ajuda de um psicólogo que me dará o suporte necessário para entender o que está por trás da desorganização desse cliente que apresenta indícios de ser um acumulador. O desapego é feito em doses ‘homeopáticas’, pois causa muito estresse mexer nos objetos pessoais dessa pessoa. Esse trabalho precisa ser dividido em várias etapas, com poucas horas de duração em cada visita.

Tem alguma história para nos contar de pessoas que mudaram sua vida?

Yolanda: É um grande desafio atender um desorganizado crônico, porque existem muitos fatores externos e emocionais que dificultam o trabalho de organizar o espaço onde vivem essas pessoas. Dos casos que atendi até o momento, eu posso afirmar que consegui sensibilizar muitos para a necessidade de manter um ambiente com menos objetos e menos desorganização. Eu diria que a Oficina de Suporte aos Problemas de Desorganização, em parceria com a psicóloga Deborah J. Williamson Passos, é uma das soluções que encontramos para reunir periodicamente pessoas com grande dificuldade em se organizar, e tem sido uma boa maneira de ajudar essas pessoas. Todas saem da Oficina com o propósito de melhorar suas vidas, começando a se livrar do caos que se encontram.

Tem mais alguma coisa para contar pra gente?

Yolanda: Quero alertar que o trabalho ou a convivência com o desorganizado crônico é uma tarefa que exige muito cuidado, respeito ao sofrimento do portador desse transtorno e, sobretudo, muita paciência. É preciso estudar bastante sobre essa patologia e a forma como lidar com essas pessoas. Tanto considero sério que a psicóloga Deborah e eu criamos um Grupo de Estudos sobre Desorganização Crônica, que reúne profissionais de organização que querem trabalhar com esse público, debater e trocar experiências sobre a acumulação compulsiva e suas causas.

Saiba mais sobre Yolanda e seu trabalho

Bacharel em Letras e Secretariado, foi professora por mais de 10 anos em escolas de primeiro grau e trabalhou como secretária bilíngue em empresas de diversos portes. Consultora em organização de ambientes residenciais e corporativos, com certificação pela OZ!; sócia-fundadora da Associação Nacional de Profissionais de Organização e Produtividade – ANPOP. Participa, também, de cursos de aperfeiçoamento e aprimoramento na área de organização.

 

YH_2015_red

 

yorganiza@gmail.com

www.yorganiza.com.br

www.desorganizacao.com.br

por Rafaela Oliveira
Comente aqui
3 comentários em “Bate Papo com Especialista | O que é Desorganização Crônica e como lidar com ela?”
  1. Yolanda Hollaender26/02/16 • 09h18

    Rafaela, muitíssimo obrigada pela oportunidade dessa entrevista no Organize sem Frescuras. Foi uma satisfação poder compartilhar meu singelo conhecimento, fruto de experiências vivenciadas, pesquisas e estudo contínuo sobre a Desorganização Crônica para que as pessoas que estão com dificuldade em lidar com a desorganização, ou os que convivem com o portador desse transtorno, possam compreender o problema e buscar soluções para amenizar o sofrimento causado por essa situação.

  2. Neide26/02/16 • 11h25

    Gostei muito dessa reportagem..

    Apos algumas perdas inclusive da minha Empresa, comecei acumular coisas para reciclar e eu estava acumulando mais que reciclando. Depois que fiz formação em coach, percebi que eu estava tornando-me acumuladora. Hoje graças a Deus e tudo que estou aprendendo com o coach, estou me libertando disso. Quando a pessoa está vivendo essa disfunção, ela não se percebe fazendo isso.

    Gratidão por ajudar as pessoas.

    NEIDE

  3. ana afonso14/03/16 • 18h50

    ola gosto muito dos temas de que fala no blog, gostava que um dia fizesse um tema sobre como organizar uma casa grande, pois sou casada tenho 2 filhos, trabalho 8h e tenho 2 dias durante a semana de folga, mas chego a um momento que desisto porque tenho uma casa enorme e fico super cansada. um dia e para lavar a roupa e arrumar . e como tenho muitas devisoes, gostava de umas ideias

    a minha casa tem 5 quartos, 3 casas de banho, corredor e escadas, depois sala de estar e sala de jantar, 1 despensa, cozinha e na cabe fiz 1 quarto de brinquedos e uma sala para as crianças verem tv.

Navegue pelas categorias
Voltar para a Home